Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Tocando Agora
Músicas recentes: Veja as músicas que já tocaram por aqui.
Fale conosco via Whatsapp: ++55 19 32721945
No comando: Show da Manhã

Das às

No comando: Madrugada Soul

Das 00:00 às 06:00

No comando: Sambarilove

Das 09:00 às 12:00

No comando: Sunday Classics

Das 12:00 às 14:00

No comando: Charm’In Black

Das 12:00 às 15:00

No comando: Tarde Total

Das 12:00 às 19:00

No comando: Som dos Bailes

Das 15:00 às 19:00

No comando: Noite Black

Das 19:00 às 00:00

No comando: Dj Eric Show, Ritmos de Boate

Das 21:00 às 00:00

Menu

Al Green

Nascido em 13 de abril de 1946, em Forrest City (EUA), Albert Leornes Greene, conhecido como Al Green, é um dos maiores nomes da música soul e do gospel americano.

 

Seu período de maior sucesso foi no início e metade dos anos setenta. Começou a cantar logo cedo, aos 9 anos de idade, junto com outros três irmãos em um grupo gospel de seu pai, o Green Brothers.

 

Depois de seguir em várias turnês com o grupo na década de 50, para depois mudar para o Estado do Michigan. Lá o jovem formou seu primeiro grupo  de R&B, chamado Al Green and The Creations, que em 1968 seria rebatizado como Soul Mates. Naquele mesmo ano, o Soul Mates alcançou o Top 5 da parada Black Singles da Billboard, com a canção Back Up Train.

 

Em 1969, Green deixou a banda e partiu para carreira solo, quando conheceu o produtor Willie Mitchel, de quem ficou bastante próximo.

 

Naquele mesmo ano, foi lançado Green is Blues, seu disco de estreia. No ano seguinte lançou o álbum Al Green Gets Next to You.

 

Em 1972, Al Green lançou um de seus mais explosivos sucessos. Estamos falando de Let’s Stay Together que chegou à oitava posição na parada Pop da Billboard e primeiro lugar na parada Black. A música-título ficou no topo das duas listas.

Tragédia pessoal

Uma tragédia pessoal marcaria sua vida no meio da década de 1970. Em outubro de 1974, após recusar uma proposta de casamento feita por sua então namorada, Mary Woodson, esta jogou uma panela de água fervendo sobre Al, enquanto este tomava banho.

 

Com isso, o cantor teve queimaduras de segundo grau no abdome, nas costas e no braço. Após a agressão, Mary foi para um outro cômodo e suicidou-se, com um tiro na cabeça disparado por ela com uma arma do próprio Green.

 

Após essa tragédia que o abalaria profundamente, Al Green se converteu ao cristianismo. Em 1976, ele já havia comprado uma igreja no Memphis e ordenado pastor da Full Gospel Tabernacle.

 

Embora seguisse gravando R&B, as vendas de seus discos começaram a cair e cresciam as críticas sobre seu trabalho – embora os críticos musicais tivessem elogiado “The Belle Album”, de 1977.

 

Durante uma apresentação em 1979, Green foi ferido e assim, o cantor aproximou-se ainda mais da religião, passando a pregar e a cantar apenas música gospel. Seu primeiro álbum desta fase foi “The Lord Will Make a Way”, em 1980.

 

De 1981 a 1989, Green gravou mais álbuns do gênero, oito deles premiados com o Grammy de “Melhor Performance Soul/Gospel”. Em 1984, o diretor de cinema Robert Mugge lançou “Gospel According to Al Green”, um documentário que inclui entrevistas sobre a vida do cantor e cenas dele em sua igreja.

 

Após vários anos no estilo gospel, Green iniciou seu retorno ao R&B, com o lançamento do dueto com a cantora britânica Annie Lennox de “Put A Little Love In Your Heart” (escrita em 1968 por Jackie DeShannon), para a comédia Os Fantasmas Contra-Atacam, e a composição do hit “The Message Is Love”, uma parceria com o produtor Arthur Baker.

 

Seu dueto de 1994 com o cantor de country music Lyle Lovett fundiu este estilo música com o R&B e lhe premiou com seu nono Grammy – pela primeira vez na categoria pop music.

 

No ano seguinte, foi lançado “Your Heart’s In Good Hands”, primeiro álbum secular (não-religioso) de Green. Embora recebesse avaliações positivas da crítica musical, o CD não vendeu bem. Ainda em 1995, Green foi nomeado para o Hall da Fama do Rock and Roll.

 

Em 2000, Green publicou “Take Me to the River”, um livro que examina sua carreira. Dois anos depois, o cantor recebeu um Grammy pelo conjunto da obra.

 

Em 2003, foi lançado “I Can’t Stop”, primeiro álbum produzido por Willie Mitchell desde 1985, e o primeiro trabalho de sucesso comercial em décadas.

 

Em 2004, Green foi nomeado para o para o Hall da Fama da Música Gospel. Também naquele ano, a Revista Rolling Stone ranqueou Green na posição 65 na lista dos 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos.

Principais Álbuns

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário: